24 de fev de 2017

Manifesto do bloco "Não é Não - Carnaval Goiás 2017




Bloco "Não é Não"

Estamos aqui para “defender a ALEGRIA como uma trincheira”.
 
A alegria, o prazer, a sensualidade e a sexualidade estão a serviço da vida. Defenderemos a VIDA, a LIVRE passagem de nossas meninas e mulheres pelo mundo, pelas ruas. 

Gracias Benedetti! 


Somos herdeiras de VALENTES, ao longo de séculos, mulheres sofreram as mais pesadas penas e algumas deram suas vidas por nossa libertação. 


Hoje, em tempos obscuros, seja por gratidão ou compromisso, devemos dar marcha as lutas destas mulheres valentes. 


Hoje, em tempos de carnaval, devemos - por amor as nossas filhas e por responsabilidade com o futuro, gritar pelo direito à ALEGRIA. 


 
“O erotismo é uma das bases do conhecimento de nós próprios, tão indispensável como a poesia”




Merci Anaïs Nin!


Viver sem medo, brincar sem medo, amar sem medo! 

Nossas mulheres têm o direito de brincar livremente a festa da carne!

Não vamos recuar um passo, ergueremos trincheiras!

Nossos corpos não serão cobertos pela mortalha da repressão sexual.

Sexo não é sujo.

Nossa nudez não é feia.

Nenhuma nudez será castigada! 

Nossos corpos e desejos são puro brilho e purpurina.

Escandaloso e horrendo é a violência, a crueldade!


Há muito tempo se sabe que a violência sexual e a repressão sexual são faces de uma mesma moeda. As aparências não enganam não, por ações e palavras distintas ambas querem minar ou barrar o avanço da autonomia da mulher. Por isso vamos botar o nosso bloco na rua para:


"Fazer o riso tremer o medo.
Fazer o medo virar sorriso”.




Obrigada Valença!


Não é Não, por que defendemos a ALEGRIA da não sujeição.

Não é Não, por que defendemos a AUTONOMIA de nossos desejos.


Fique esperto, estamos atentas e fortes, nossa sensualidade e a livre expressão de nosso erotismo não serão mercantilizados por sua ganância e arbítrio. 

Sabemos o que queremos e quem queremos!

Nossos corpos, nossos desejos não serão colonizados! 


A caminhada foi longa e juntas somos FORTES.

Seu dedo em riste não nos assustam!

Seu olhar carola e repressor não nos intimidam!

Não nos toque sem o nosso consentimento. 

Estamos juntas uma pela outra e como muralhas de lantejoulas, fitas de cetim e purpurina desafiamos sua ordem arbitrária e sua violenta cobiça sobre nossos corpos.


Não é Não!



Angela Cristina - Educadora Popular, feminista e ativista de Direitos Humanos 
Cecília Alves Silva – Estudante de Psicologia (PUC Goiás)
Cida Alves – Psicóloga, Feminista e administradora do Blog Educa Sem Violência
Cláudia Coelho - Assistente Social
Ione Mendes - Pedagoga e Professora do CEPAE
Fernanda Canciliere Rodrigues Nascimento – estudante de Publicidade (PUC Goiás)
Ionara Rabelo – Psicóloga, Feminista e Professora da UFG
Flávia Rabelo – Secretaria Municipal de Cultura de Goiás
Lucas Nakamura – Bacharel em Comunicação Social (UnB) e Realizador Audiovisual 
Maria Meire de Carvalho – Coordenadora do G-Sex (Grupo de Gênero, Direitos e Sexualidade – Universidade Federal de Goiás, Campus Goiás)
Railda Martins Gonçalves - Psicóloga e ativista do MNMMR de Goiás
Renata Linhares - Educadora Física e Professora da UEG
Victor Luis Vieira – estudante de Relações Internacionais (PUC Goiás)
_____________
Texto: Cida Alves
Foto: Anaïs Nin